Entenda melhor quais são os tipos de anestesias em pequenos animais

A aplicação de anestesias em pequenos animais pode ser aplicada em várias situações como forma de reduzir a dor do paciente por um determinado período, por exemplo, nos processos cirúrgicos, procedimentos ambulatoriais, realização de exames, entre outros. No entanto, é importante ter em mente que cada animal possui especificidades que precisam de ser levadas em conta no momento de escolher o tipo mais apropriado e fazer com que a intervenção seja um sucesso.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto. Acompanhe!

Quais são os tipos de anestesias em pequenos animais?

É importante ter em mente que existe um tipo de anestesia mais apropriado para cada situação:

Anestesia local

Por meio dela ocorre a persa da sensibilidade da dor sem a perda da consciência do paciente. Os medicamentos utilizados têm a função de bloquear os impulsos nervosos da região a ser operada, sendo comumente usada em procedimentos menos invasivos.

Anestesia geral

Nesse tipo, o anime perde a consciência totalmente. Isso porque, o fármaco suprime temporariamente a sensação integral da dor. É muito usada nos casos de amputação de membros, cirurgias ortopédicas e castração.

Anestesia locorregional

Usa fármacos com a finalidade de bloquear a transdução, transmissão e a modulação do estímulo nociceptivo da medula espinhal. Quando aplicados localmente no tecido nervoso, bloqueiam a conduta nervosa de maneira reversível. Por ser utilizada em bloqueio periférico dos membros, infusão contínua, anestesia epidural etc.

Quais são as vias de administração?

As anestesias em pequenos animais podem ser administradas pelas seguintes vias:

  • injetável: é o modelo mais tradicional, onde o animal recebe a anestesia por intermédio de um acesso venoso, que vai diretamente da corrente sanguínea;
  • inalatória: é absorvida por meio da inalação. Com o animal previamente sedado, ele é intubado e colocado em posição adequada para inalar a anestesia e passar pelo procedimento de forma indolor. Nesse caso, o paciente fica com o tubo endotraqueal no decorrer de toda a intervenção.

Quais são os principais cuidados pré-operatórios?

Para que o procedimento seja executado de maneira tranquila e segura, é importante estar atento aos cuidados pré-operatório, que envolve uma avaliação clínica detalhada para averiguar o histórico e estado de saúde do animal (pulmão, coração e região a ser operada), coletar amostrar de sangue e urina. Nesse momento, os profissionais qualificados também vão verificar qual o protocolo mais apropriado para o caso em questão. Outros cuidados que devem ser prestados nessa hora pelo dono do animal são:

  • informar ao médico os problemas de saúde já identificados no animal;
  • apontar todos os medicamentos tomados pelo animal recentemente;
  • não realizar mudanças bruscas na rotina do animal, inclusive relacionadas à medicação. Ao menos que sejam orientadas pelo veterinário;
  • evitar contato com outros animais que possam gerar riscos de infecção;
  • seguir todas as instruções do veterinário.

Agora que você entende quais são os principais tipos de anestesias em pequenos animais, as vias de administração e cuidados pré-operatórias, também é importante contar com equipamentos de qualidade, já que isso é essencial para que os procedimentos sejam feitos de forma segura e eficaz, com resultados bastantes positivos.

Quer conhecer as soluções de anestesia veterinária oferecidas pela Medicalway? Então, acesse nosso site agora mesmo!

Veja também
O que é e quais os benefícios do cardioversor? Confira!

Apenas em 2021, 230 mil pessoas no Brasil morreram por doenças cardíacas, segundo dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). É por razões como essas que os médicos devem ficar alertas e contar com aparelhos como o cardioversor.

Ele é responsável por regular batimentos cardíacos, como quando o órgão pulsa de forma acelerada. Para isso, é importante saber como manusear o cardioversor adequadamente, em quais situações seu uso é indicado, quais diferenças entre ele e o desfibrilador etc.

Então, quer ficar por dentro dessa e de outras informações sobre o cardioversor? Continue conosco e saiba mais!

O que é cardioversor?

O cardioversor é um aparelho médico que aplica choque elétrico sincronizadamente sobre o coração para restaurar impulsos elétricos. Em outras palavras, ele é responsável por melhorar a oxigenação sanguínea do coração e regular os batimentos cardíacos. 

Diante disso, o cardioversor é especialmente útil em casos urgentes e emergentes, como em indivíduos com arritmia. Além disso, o cardioversor também é indicado para monitorar cirurgias e tratamentos clínicos relacionados a problemas cardíacos.

Como o cardioversor funciona?

O funcionamento do cardioversor ocorre pela liberação de estímulos elétricos no coração. Desse modo, é possível regular as batidas do coração. O cardioversor também consegue realizar todas as funções do desfibrilador, mas é ainda mais completo, por aplicar choques elétricos síncronos. 

O modo de funcionamento do cardioversor varia conforme os tipos disponíveis. Por exemplo, o manual precisa de um profissional qualificado para identificação do ritmo das batidas e aplicar os choques elétricos.

Outro tipo é o semiautomático, que reconhece o ritmo das batidas automaticamente. Assim, a intervenção de um operador só é necessária para aplicar os choques. Existe também o cardioversor externo, que conta com eletrodos adesivos. E ainda, os internos, que conecta os eletrodos pelo sistema venoso.

Quais são os benefícios de um cardioversor?

Ter um cardioversor no ambiente médico oferece inúmeros benefícios. Entre eles, a capacidade de ter uma melhor preparação em situações emergenciais. Afinal, o aparelho é útil para regular os batimentos cardíacos do indivíduo, já que doenças cardiovasculares são tão frequentes.

Assim, ter um cardioversor é também uma estratégia para se prevenir de problemas, especialmente em UTI e CTI. Dessa forma, além de atuar em situações de urgência e emergência, o aparelho colabora para monitorar cirurgias e tratamentos clínicos.

Quem pode manusear o cardioversor?

Conforme mencionado, a operação do cardioversor varia conforme o tipo de aparelho adotado. Isto é, a versão para o uso externo é mais intuitiva e pode ser operada por um profissionais mais leigo. E ainda, o cardioversor semiautomático.

Este precisa de um operador apenas para administrar o choque elétrico. Enquanto isso, o cardioversor manual, que exerce essas duas funções. De todo modo, é preciso que o profissional encarregado tenha qualificação na área da saúde, preferencialmente um médico.

Então, conseguiu entender do que se trata o cardioversor e como ele pode ser útil para a sua clínica médica? Como visto, investir nesse aparelho permite uma melhor preparação para situações emergenciais, previsão de problemas e muito mais.

O que achou do conteúdo trazido sobre o cardioversor? Compartilhe um comentário conosco com suas possíveis dúvidas e opinião sobre ele!

 

 

LEIA MAIS
Como o sistema de videolaparoscopia é realizado?

No mundo atual, cada vez mais vemos toda a ciência evoluindo junto com a tecnologia. A medicina não é diferente. Com isso, cada vez mais surgem opções no mercado para facilitar os procedimentos e diminuir os riscos dos pacientes, uma dessas soluções é a videolaparoscopia.

Apesar do nome grande e aparentemente complicado à primeira vista, o sistema de videolaparoscopia vem para facilitar a vida dos médicos, técnica essa que pode ajudar tanto para fazer diagnósticos quanto para cirurgias.

Agora, você quer saber o que é a videolaparoscopia, quais as suas vantagens e como ela é feita na prática? Fique por aqui, que vamos mostrar para você neste artigo. Siga a leitura!

O que é videolaparoscopia?

Podemos dizer que a videolaparoscopia, também chamada apenas de laparoscopia, é uma cirurgia pouco invasiva, utilizada com o objetivo de diagnosticar doenças já suspeitas pelo médico ou para executar o que o tratamento precisa, como retirada de um órgão ou parte dele.

Normalmente, o sistema de videolaparoscopia é utilizado nas doenças na região abdominal ou pélvica e é considerado um dos maiores avanços da medicina do último século quando o assunto é tecnologia.

Como é feita na prática?

Antes de abordarmos sobre como é feita a videolaparoscopia, é fundamental lembrar da necessidade de fazer os exames pré-operatórios e uma avaliação dos riscos cirúrgicos, por mais que seja uma prática pouco invasiva.

Ao entender o estado das pessoas e como está o corpo com esses exames, é possível avaliar, por exemplo, quando é recomendável esvaziar completamente o intestino com o uso de laxantes no pré-operatório.

A operação é administrada no ambiente hospitalar, por conta de toda a estrutura necessária. Todo o procedimento é feito sob anestesia geral. São realizados pequenos cortes e/ou incisões, sendo mais comum fazer dois a três na altura da virilha e uma na região umbilical.

Na sequência, um tubo com uma microcâmera é introduzido até o local exato, o que permite ao médico ter uma visão detalhada e profunda. As imagens de alta definição podem ser ampliadas ou reduzidas a fim de realizar esse diagnóstico com exatidão ou até fazer uma cirurgia minuciosa.

Quais são as vantagens do sistema de videolaparoscopia?

Para o setor médico, a maior vantagem de utilizar a videolaparoscopia é o acesso ao órgão vital por meio de uma abertura bem pequena, de aproximadamente um centímetro.

Como se trata de um procedimento por meio do qual um tubo plástico entra no corpo humano com uma microcâmera, a visualização facilita os diagnósticos e a realização das cirurgias de maneira incrivelmente mais prática.

Para o paciente, a maior vantagem que podemos citar é o menor tempo de hospitalização necessária no pós-operatório. Afinal, por ser minimamente invasiva, o corpo sente menos e consequentemente se recupera mais rapidamente.

Vale ressaltar que é também possível voltar, em pouco tempo, às atividades profissionais e pessoais. Com o sistema de videolaparoscopia, a chance de ter algum tipo de infecção e dor intensa é muito menor.

E, claro, não podemos deixar de citar que todos se preocupam com sua forma física. Em termos de estética, esse tipo de procedimento é bem aceito, já que são cortes pequenos que deixam cicatrizes minúsculas, muitas vezes imperceptíveis.

Portanto, o sistema de videolaparoscopia é um procedimento com vantagens para a equipe médica, devido à sua alta visualização e à possibilidade de proporcionar diagnósticos mais precisos, além de ser uma perfeita alternativa para o paciente, que terá uma recuperação rápida e com pouco desconforto no pós-operatório.

Gostou de entender melhor sobre o que é e como funciona a videolaparoscopia? Curta a página do nosso Facebook para ficar atualizado sobre esse e outros temas!

LEIA MAIS
Como realizar o aluguel de equipamentos hospitalares em Curitiba? Confira

O aluguel de equipamentos hospitalares pode ser uma opção que oferece o melhor custo-benefício. Afinal, essa alternativa dispensa gastos adicionais com a manutenção dos aparelhos, possibilidade de testagem das opções disponíveis etc.

Diante desse contexto, é possível alugar equipamentos hospitalares. Para isso, é preciso levar em consideração uma série de fatores, como avaliação de outros clientes, suporte oferecido e muito mais.

Então, se você tem interesse no aluguel de equipamentos hospitalares em Curitiba, continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

Por que alugar equipamentos hospitalares em vez de comprar?

Conforme mencionado, o aluguel de equipamentos hospitalares pode ser, em alguns casos, mais vantajoso do que a compra. Confira a seguir as razões que explicam isso:

  • manutenção dos aparelhos sem custos adicionais: é natural que um equipamento hospitalar precise de reparos para garantir a agilidade a eficiência necessária, mas os gastos envolvidos nisso já são inclusos na mensalidade do aluguel;
  • testagem de equipamentos com melhor qualidade: é possível que uma aquisição de aparelho seja frustrante e o hospital precise trocá-lo por outro, o que ocorre facilmente ao alugar equipamentos;
  • flexibilidade no gerenciamento de crises: a compra de aparelhos poderia ser desnecessária em períodos em que o hospital tem baixa demanda. Logo, o aluguel é uma maneira de lidar com sazonalidades sem gastar muito.

O que considerar ao alugar equipamentos hospitalares?

Você já entendeu os motivos que tornam o aluguel de equipamentos hospitalares mais benéficos, em muitos casos. Ainda assim, é importante considerar alguns aspectos na hora do aluguel, para evitar frustrações. Acompanhe os principais a seguir!

Avaliação dos outros clientes

Avalie o que outros clientes que alugaram equipamentos na empresa acharam da experiência. Assim, analise as redes sociais, depoimentos disponíveis no site e entre em contato também por telefone. 

Suporte oferecido

Muitas empresas oferecem suporte e treinamento na mensalidade do aluguel. Priorize as que fazem isso para reduzir os custos e a possibilidade de insatisfação. Assim, você eleva o custo-benefício dessa experiência.

Equipamentos hospitalares disponibilizados

Outro ponto essencial para considerar ao alugar equipamentos hospitalares é analisar a qualidade deles. Afinal, existem diversas versões disponíveis. Cada uma pode ser benéfica para diferentes necessidades. 

Assim, ao efetuar essa análise, priorize os que usam tecnologia de ponta e se adequam às necessidades dos pacientes. Isso agrega valor à sua instituição e pode atrair mais público. Além disso, essa escolha ajuda na redução de custos, já que o dinheiro investido no aluguel terá um maior retorno.

Onde encontrar as melhores opções de aluguel de equipamentos hospitalares em Curitiba?

Após conhecer os critérios a serem considerados no aluguel de equipamentos hospitalares, descubra onde encontrar as melhores empresas para isso. É o caso da Medicalway, onde você encontra todos os aparelhos para sua instituição. Conte com vantagens como:

  • parcelas fixas; 
  • renovação do equipamento;
  • linha de crédito intacta;
  • não imobiliza os equipamentos;
  • passível de dedução no Imposto de Renda.

Entendeu como funciona o aluguel de equipamentos hospitalares em Curitiba? Você já conhece a melhor opção na região para essa negociação e os critérios a serem analisados. Então, avalie todos os pontos cuidadosamente para uma melhor tomada de decisão.

Entre agora mesmo em contato conosco e faça o aluguel de equipamentos hospitalares em Curitiba!

LEIA MAIS
1 2 3 28
Gostou? Compartilhe este artigo!
Tags: 
Fale Conosco
(41) 3253-0500
(41) 3313-1665
(41) 3253-0500
sac@medicalway.com.br
ROD CURITIBA PONTA GROSSA
BR 277, 3931 - Orleans
Curitiba/PR - CEP: 82.305-100
Conecte-se com a Medicalway
Fique por dentro das nossas novidades!

    Filiais
    Rio Grande do Sul
    (51) 3209-0813
     
    Santa Catarina
    (47) 99187-8805
    © 2022 Medicalway Equipamentos Médicos LTDA. Todos os diretos reservados | CNPJ: 02.949.582/0001-82
    Desenvolvido por Fresh Lab - Agência  de Marketing Digital
    crossarrow-right-circle linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram